Clube da Esquina: com apoio de Jaiminho Martins museu sairá do papel

Em 2010 foi anunciada a criação do museu Clube da Esquina, em homenagem ao famoso movimento musical mineiro. O espaço destinado à abertura do museu seria, a princípio, o imóvel que abriga o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas), que fica junto ao palácio do governo de Minas, na praça da Liberdade. A previsão era de que as atividades do museu se iniciassem em 2011, porém, até hoje, as obras não saíram do papel. Para os mais esperançosos, a boa notícia é que os idealizadores ainda estão otimistas com o desenvolvimento do projeto.

Na última sexta-feira (19.06), o deputado federal Jaiminho Martins (PSD/MG) e integrantes da Associação dos Amigos do Museu Clube da Esquina (AAMUCE), tiveram uma importante reunião com secretário de Estado de Cultura, Ângelo Oswaldo, onde foi apresentado o projeto arquitetônico da obra.  Segundo Jaiminho Martins, o complexo coexistirá com o Centro de Referência da Música de Minas em parceria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), envolvendo diversas áreas acadêmicas, como história, museologia, música e educação.

“Além disso, com a mudança da gestão do Circuito Cultural Praça da Liberdade, que passou a ser administrado pelo estado, o projeto, bem como a ocupação dos espaços, estão sendo repensados. Mas estamos muito otimistas. Aloquei recursos de R$200 mil reais para o projeto e, agora, o secretário Ângelo Oswaldo se mostrou atento, sensível, elogiou o estágio avançado em que estamos e sinalizou positivamente no sentido de viabilizarmos, conjuntamente com o IEPHA e a secretaria de Cultura, o projeto”, informou.

O projeto do museu, que tem entre os seus lideres o renomado musico divinopolitano, Túlio Mourão, propõe salas de concerto, áreas educativas e de apoio. Também estão previstos palco, sala de cinema e oficinas ligadas aos vários aspectos das práticas musicais e da história das artes.

História do clube

No início dos anos 1960, jovens músicos começaram a se reunir em Belo Horizonte. Influenciados pela bossa nova, por elementos do jazz, do rock and roll, da música folclórica dos negros mineiros, da música erudita e da hispânica, esses artistas produziam um som que ganhava destaque no Brasil. Nos anos 1970, a turma que se encontrava no tradicional bairro Santa Tereza, na capital mineira, tornou-se referência de qualidade da MPB.

O Clube da Esquina, como ficou conhecido o grupo, surgiu a partir da amizade entre Milton Nascimento e os irmãos Borges (Marilton, Márcio e Lô). A turma mineira foi se reforçando com outros grandes nomes, como Wagner Tiso, Fernando Brant, Nivaldo Ornelas, Toninho Horta e Paulo Braga, até se transformar em um dos principais movimentos musicais e culturais da história brasileira.

Com informações da Revista Encontro