Jaime Martins: alterações em corredor ferroviário para amenizar transtornos em cidades mineiras

Amenizar transtornos causados por um corredor ferroviário que corta várias cidades de Minas Gerais. Esta é a intenção do deputado federal Jaime Martins (PSD-MG) ao propor alterações na Resolução 41/31 do governo federal que trata da Ferrovia Centro-Atlântica, que liga o Centro-Oeste do Brasil aos portos do Rio de Janeiro e Vitória. Acidentes em passagens de nível, altos ruídos, ferrovias dividindo cidades, conflitos entre o tráfego ferroviário e o rodoviário são alguns dos problemas que preocupam o parlamentar.

Por ser um defensor da expansão da malha ferroviária no Brasil por todos os benefícios que ela representa, Jaime Martins trabalha para que estes e outros gargalos no setor ferroviário sejam sanados e que a extensão da malha se dê da forma mais adequada à realidade do país e dos municípios por onde passam as ferrovias. Em encontro na última quinta-feira, 20, em Brasília, Jaime Martins discutiu as propostas de alterações com Jorge Bastos, diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).  Estavam também presentes na reunião técnicos da ANTT e do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).

Mudanças resolverão uma série de transtornos causados pela ferrovia em diversas cidades

As mudanças resolverão uma série de transtornos causados pela ferrovia em cidades como Divinópolis, Itaúna, Arcos, Formiga e Santo Antonio do Monte. Jaime Martins lembrou ainda de um acidente que aconteceu em Carmo do Cajuru quando um trem descarrilou e atingiu pelo menos um imóvel próximo à linha ferroviária. O deputado ressaltou que é para evitar casos como este que está propondo as alterações. O parlamentar destacou o interesse público que tem ao propor as alterações, além do interesse dele em “estimular o modal ferroviário”. No encontro, foi ressaltado ainda que as alterações estão baseadas em justificativas técnicas e estudos de viabilidade e algumas obras já contam com projetos executivos aprovados.

O diretor da ANTT afirmou que não vê nenhum problema em propor as alterações. “Se os projetos estão prontos, beneficiam a população, tem interesse público, não vejo problema em alterar”, afirmou Jorge Bastos. Como presidente da Subcomissão Permanente de Ferrovias e Trem de Alta Velocidade da Câmara dos Deputados, o deputado Jaime Martins sugeriu ainda que seja feita uma audiência pública sobre o tema na Comissão de Viação e Transportes.

Obras no Centro-Oeste

Outras reuniões estão previstas até que a proposta de alteração seja entregue ao Ministério dos Transportes. “ Tratamos da Resolução 41/31 que trata de um encontro de contas entre a Ferrovia Centro Atlântica e o governo federal para a realização de várias obras que são fundamentais para Minas Gerais, sobretudo para nossa região Centro-Oeste, e Para o Brasil. Estamos focando em várias obras para melhorar a relação da ferrovia com as áreas urbanas. Pela proposta estamos incluindo obras no município de Arcos, levando obras ao contorno ferroviário de Divinópolis, de Itaúna, a proposição de um contorno ferroviário também em Carmo do Cajuru, em Santo Antonio do Monte, Formiga. Um conjunto de ações que monta recursos superiores a R$ 1 bilhão. Estamos trabalhando para que possa se efetivar de forma adequada para atender a população que é atingida por essas ferrovias”,  resumiu Jaime Martins.