Jaime Martins trabalha por sede própria da Academia Divinopolitana de Letras (ADL)

Avança a busca por imóvel adequado no bairro Esplanada

O deputado federal Jaime Martins é um grande incentivador da cultural regional. Ele  busca sempre apoiar as ações que visam a melhorias quanto ao acesso e promoção das mais diversas expressões culturais como as artes e a literatura. Diante disso, Jaiminho Martins tem feito o possível para auxiliar os acadêmicos da ADL – Academia Divinopolitana de Letras a conseguir uma sede própria. Nessa sexta-feira (29/09) esteve em audiência na Superintendência do Patrimônio da União em Minas Gerais (SPU/MG) para tratar da cessão de um imóvel para tal finalidade.

O encontro foi com o superintendente Vicente de Paulo Diniz, a Chefe da Unidade Ferroviária de Belo Horizonte e responsável pela inventariança da REDE Ferroviária, Vânia Silveira de Pádua, o secretário da ADL, Flavio Ramos, o vereador Edson de Souza e o secretário de Cultura de Divinópolis, Osvaldo André.

O imóvel pretendido pela ADL se localiza no bairro Esplanada. A proposta da reunião foi encontrar os meios para que ele possa ser retirado do Fundo Contigente e ser cedido ao município. Posteriormente será transferido em comodato para a Academia de Letras.  A meta da ADL é que a sede atenda também a outras entidades de Divinópolis e se torne um ponto de referencia cultural.

“A Academia possui atualmente 40 membros. Nós temos que trabalhar para fornecer aos imortais as condições para que possam se reunir e desenvolver cada vez mais a literatura regional. A cessão desse imóvel certamente auxiliará nisso, além de ajudar a manter viva a nossa história”, relata o deputado.

Esforços para resgatar e manter a memória da cidade

Entre os outros assuntos tratados na Superintendência está a reativação do Museu da Memória Ferroviária. O secretario de Cultura, Osvaldo André fez questão de destacar a importância desse museu para o município que nasceu em razão da ferrovia.

O deputado Jaime Martins reforça que toda a tradição dos ferroviários representam os traços de uma cidade que vislumbrou o progresso através dos trilhos e que hoje deve preservar essa memória como a memória de sua própria história.

Por: Ivane Ferreira / Assessoria de Comunicação