Jaime Martins: ETE de Iguatama é assunto de encontro na Codevasf

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Iguatama foi assunto de reunião entre o deputado federal Jaiminho Martins (PSD-MG) e o prefeito municipal, Leonardo Carvalho Muniz, com Felipe Mendes de Oliveira, presidente da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) na tarde de ontem (16.09), em Brasília.

Fim do lançamento de detritos no São Francisco

Com capacidade para tratar mais da metade do esgoto produzido no município, a ETE, ao entrar em funcionamento, acabará com o lançamento desses detritos no córrego Laveran, um afluente do Rio São Francisco que corta a cidade de Iguatama. Para iniciar o seu funcionamento, segundo o prefeito, falta finalizar a ligação da rede de esgoto da cidade à estação de tratamento. De acordo com projeto apresentado ao presidente da Codevasf, são 1.400 metros de tubulação que precisam ser instalados.

Estação irá tratar mais da metade do esgoto produzido no município, o primeiro a ser banhado pelo Rio São Francisco

O deputado Jaiminho Martins destacou a importância da obra na preservação da Bacia do Rio São Francisco. “Iguatama é a primeira cidade banhada pelo Rio São Francisco. É uma cidade estratégica da calha do Rio São Francisco”, salientou. Também ciente da necessidade do sistema em Iguatama, Felipe Mendes afirmou que irá avaliar e, posteriormente, dar sequência ao pedido do prefeito no sentido de ajudar financeiramente na finalização da obra.

O prefeito Leonardo acrescentou que o sistema municipal de esgoto será gerenciado pelo Serviço Autonômo de Água e Esgoto (Saae), autarquia criada recentemente com esta finalidade pela Lei Municipal 1371/15. “Estamos aguardando ansiosamente a liberação desse recurso para que o ETE comece a funcionar beneficiando todo o município e a preservação do Rio São Francisco”, afirmou Leonardo.

Também estavam presentes ao encontro o diretor da Escola Superior em Meio Ambiente de Iguatama, Bruno Bibiano, o diretor da área de revitalização das Bacias Hidrográficas da Codevasf, Eduardo Jorge de Oliveira, além do engenheiro da Codevasf, Fabrício Líbano.