Jaime Martins garante recursos para aparelhos de investigação da Polícia Civil

Deputado prioriza emenda para compra do equipamento “Cellebrite”

Em reunião com os representantes das Policias Militar e Civil, o deputado federal Jaiminho Martins (PSD-MG) se mostrou bastante preocupado com a situação da segurança pública no centro-oeste mineiro e se colocou à disposição para auxiliar no trabalho que é exercido pelas forças de segurança nas cidades da região. O encontro com o comandante do 60º BPM, tenente coronel Wemerson Pimenta, o comandante do 23º BPM, tenente coronel Marcelo Augusto, o delegado regional da Policia Civil Leonardo Moreira Pio e os maçons, Vágner, Wilson Martins e Carlos Bento foi realizado na última segunda-feira (02/10), em Divinópolis.

Em solicitação ao pedido do delegado Regional, Jaime Martins informou que fará a indicação de uma emenda no valor de R$172 mil para a compra de equipamentos de investigação da Polícia Civil. Trata-se de “drones” para monitoramento aéreo e um software chamado “Cellebrite”.

Na ocasião, o delegado agradeceu ao Jaiminho pela parceria e informou que estes são aparelhos de última geração. “Através do Cellebrite e do monitoramento aéreo ,melhoraremos consideravelmente as condições da apuração de crimes cometidos em Divinópolis e regiãos. Será de fundamental importância para as nossas investigações.”, destacou Pio.

Para o parlamentar, é sempre uma  honra poder contribuir nos assuntos relacionados a Segurança Pública de Divinópolis e região. “Faço questão de sempre que possível me reunir com os representantes das polícias do Centro-Oeste e do estado. Tenho trabalhado  na priorização de recursos tanto para a Saúde, quanto para as forças de comando, pois é fundamental que a cidadão se sinta amparado e protegido”, disse Jaiminho. ”

“Cellebrite”

Usada por agências de inteligência do mundo inteiro – incluindo a Interpol, a CIA e o próprio FBI –, a solução da Cellebrite é composta por um aparelho capaz de extrair dados de um smartphone e softwares especiais para analisar informações sob o ponto de vista investigativo. Recentemente, a Polícia Federal divulgou ter usado tal produto durante a operação Lava Jato, com o intuito de “hackear” celulares de figuras suspeitas.,

Ana Luisa / Assessoria de Imprensa